quarta-feira, 2 de julho de 2008

O Filho da Noiva


Título original: El Hijo de La Novia
Ano de lançamento (Argentina): 2001
Direção: Juan José Campanella

Não possuía muito conhecimento do cinema de nossos hermanos como do cinema mexicano e claro brasileiro na América Latina, até conferir o belo e emocionante El Hivo de la Novia. Um filme que despertou meu interesse quanto às produções feitas pelos nossos vizinhos, e que desde já quando surge a oportunidade procuro assistir a uma película argentina. Integrante deste grande celeiro do cinema latino-americano muitos consideram o cinema argentino como o melhor do continente, o que na minha peculiar opinião não confere, pois considero o cinema mexicano e acima de tudo brasileiro (sem patriotismo) superiores a esses ´´pernas de pau`` rsrsrs. Isso tiraria o mérito das grandes películas feitas no país ? Logicamente que não.

Ao menos algo que se destaca como o melhor lá é o seu grande e excelente ator Ricardo Darín, sem dúvidas o melhor ator latino junto com Gael Garcia Bernal, além de claro possuir um dos melhores diretores tal como Juan José Campanella. A união destes grandes profissionais resume o que há de melhor no cinema argentino atual, com filmes de grande qualidade e toques humanos e emocionais semelhantes aos filmes europeus. O Filho da Noiva é um claro exemplo disso; uma história simples com pessoas simples, mas que entristece, emociona e encanta ao espectador, não somente pela simplicidade, mas também pela suavidade da trama.

No longa Rafael Belvedere (Ricardo Darín) é um rapaz que sofre de crise, por está encarregado de muitas responsabilidades e preocupações acerca do seu trabalho, no qual é dono de um bem sucedido restaurante, herdado de seus pais. Devido ao trabalho ele mal tem tempo para sua filha, esquecendo a garota na hora do lazer e voltando-se ao trabalho. Sua atual namorada faz de tudo para chamar a atenção e agradar Rafael, sempre sem sucesso. Rafael quase não visita sua mãe Norma (Norma Aleandro) numa clínica, que sofre de alzheimer e vai perdendo a memória, e tem frequentes brigas e desentendimentos com seu pai. Quando sofre um ataque cardíaco que por pouco não tirou-lhe a vida, Rafael passar a perceber a importância de todos seus entes queridos à sua volta e quando Juan Carlos (Eduardo Blanco), um amigo de infância o visita, ele passa com a ajuda deste a reconstruir seu passado e modificar seu presente.

Eis que surge então a ousada idéia de Rafael; realizar o grande sonho de sua mãe, que era casar-se com seu pai na Igreja e com a ajuda de todos ele vai alcançando-o descobrindo um novo rumo para sua vida. Ricardo Darín está como sempre espetacular, ele consegue refletir para nós espectadores os momentos sentimentais nas diversas fases do personagem, mais emocionante ainda nos últimos minutos do longa onde podemos ver seus olhos brilhando, como se aquilo tivesse sido a maior realização de sua vida, e talvez fosse, pois seria o renascimento de Rafael, agora mais concentrado no que realmente interessava. Eduardo Blanco está ótimo como o amigo brincalhão e deprimido com o passado de sua filha. Norma Aleandro sobra em cena, simplesmente perfeita todas as cenas em que aparece, demonstrando e passando-nos a verdadeira ângustia e crueldade de uma doença como essa.

Um roteiro fantástico com dramaticidade, humor e poeticidade mantidos no mesmo equilíbrio que tornam o filme divertido e emocionante. A direção é criativa e mantém o espectador sempre preso à história do longa, obtendo o máximo dos atores para que assim possamos torcer por eles. E a cena do pedido de casamento ? Nossa... impossível não chorar nesta cena rsrsrs. Se os argentinos não jogam bola como nós, ao menos fazem um cinema decente, mais do que isso, excelente.

Cotação: 9.0

15 comentários:

Kamila disse...

Acho este filme simplesmente maravilhoso, emocionante, simples. É uma obra feita da atuação do ótimo elenco, especialmente do Ricardo Darin e da Norma Aleandro.

Pedro Henrique disse...

É tão bom assim?Dá até vontade de assistir...

Abraço!!!

Sérgio Déda disse...

É sim pedro.. mesmo q vc naum goste tanto da história vc vai se emocionar mesmo assim, devido a sua simplicidade.. e se entrar no clima da história vc vai amar sem dúvidas..

Vinícius P. disse...

Também gosto muito desse filme, talvez o melhor argentino que já vi (se bem que tem outros muito bons também, o cinema de lá é um dos melhores dessa última década). Realmente muito emocionante, impossível segurar as lágrimas. Abraço!

Wally disse...

Eu não vi esse, mas todos, sempre, falam muito bem dele. Vou procurar...

Ciao!

Marcel Gois disse...

Não conhecia esse filme, mas agora deu até vontade de assistir. Onde você conseguiu ele?

Você começou o texto falando que não conhecia muito o cinema Argentino, esses dias eu me dei conta de que nunca assisti 1 filme sequer de Portugal. =p Depois vou procurar alguns.

Sérgio Déda disse...

Vinícius... eh um dos melhores filmes argentinos que assisti sim.. outro q sou doido para conferir eh Nove Rainha , com o próprio Ricardo Darín...

Wally.. procure q n vai se arrepender..

Marcel.. consegui na Miami pow.. hauahuahua aluguei lah faz um tempinho.. aproveite e compre alguns filmes lah.. tem mt filme bom à venda ainda por preço baixo.. comprei 5 hoje por 35 conto ! hehehehehhe

Museu do Cinema disse...

O cinema argentino vem mostrando uma competência absurda ultimamente, dica anotada.

ღ mey ♥¨`*•.¸¸.•*´¨♥ღ disse...

nossa, parece bom msm, apesar de confessar que não sou mt fã de filmes em espanhol... vale a pena conferir :)

Vulgo Dudu disse...

É um filme muito simpático! Inclusive, foi o primeiro filme que vi com a minha esposa no cinema, logo no começo do namoro.

Abs!

Sérgio Déda disse...

Dudu.. parece q o filme trouxe bons fluidos para vc.. rsrsrs

Cecilia Barroso disse...

Esse filme é realmente maravilhoso! Daqueles que a gente assiste e fica pensando depois durante muito tempo. Norma Aleandro e Hector Alterio estão maravihosos como sempre. Ricardo Darín também está muito bem, mas não acho que tenha toda essa regularidade. Agora, já que você gostou do cinema argentino e de Darín, procure Nove Rainhas, é muito bom também.

Ibertson Medeiros disse...

Quero muito ver esse filme.
Também tem aquele filme Clube da Lua, do mesmo diretor.
Prova que o cinema não está somente nos EUA hehehe.

Ygor Moretti Fiorante disse...

gALERA sem preconceito com os hermanos rssss esse filme é muito bom e tem outros fantásticos não só argentinos como latinos, Machuca, Abraço Partido, Valentin, Familia Rodante, O Cachorro, Elza e Fred e Plata Queimada, devo ter esquecido algum, mas esses são ótimos podem conferir abraço a todos...

Ah tá adicionado teu blog...

Sérgio Déda disse...

Cecília... sou doido para assistir Nove Rainhas.. jah procurei muito, mas nunca achei..

Ibertson.. Clube da Lua eh outro filme maravilho da dupla Campanella-Darín...

Ygor... Machuca eh um dos melhores filmes latinos q tive a oportunidade de assistir..