domingo, 28 de setembro de 2008

Great Scenes #2

Em homenagem a uma das grandes lendas da história de Hollywood. Dá vontade de chorar só de ver esta cena, lembro que há muito tempo quando assisti este clássico pela primeira vez não resisti. Robert Redford e o grande Paul Newman, protagonizando ´´Butch Cassidy`` o qual Newman como o personagem-título encara a morte certa em que se encontravam como mais uma diversão, e partem sem desprezo ou arrependimento para o concerto final.
Poderia botar uma cena mais feliz do filme, como a idem clássica do passeio de bicicleta ao som da memorável música ´´Raindrops Keep Fallin´ On My Head``, mas resolvi postar a que mais me marcou e fez-me nunca esquecer do filme.

video

Título original: Butch Cassidy and The Sundance Kid
Ano de lançamento (E.U.A): 1969
Direção: George Roy Hill

Paul Newman (1925-2008)

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Top 10 - Beldades

Convidado por Marcel (Talking About Movies) e por Jacques (e-MotionMovies) farei aqui a minha lista das 10 beldades que fazem minha cabeça. Foi muito difícil logicamente, mas sem dúvidas uma tarefa complicada e extremamente divertida e atrativa kkkkk. Procurei selecionar apenas moças desta geração, excluindo as grandes estrelas de Hollywood de outras décadas.







1. Angelina Jolie











2. Monica Belucci










3. Scarlett Johansson













4. Marion Cotillard








5. Natalie Portman








6. Cate Blanchett












7. Ali Larter









8. keira Knightley









9. Jennifer Connely











10. Kristen Dunst



Muitos já a fizeram ou foram desafiados, mas ainda assim convido a fazer o mesmo:

Cinema em Casa
Cinéfilo, eu?
Multiplot
Os Filmes
Portal Cine

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Great Scenes #1

Começando um novo tipo de entretenimento por aqui. Serão postados vídeos de cenas memoráveis de determinados filmes, que fizeram-me chocar, impressionar, refletir, chorar, rir, arrepiar, babar e etc. Cenas que nos fazem lembrar o que seria a verdadeira magia do cinema, seja no sentido dramático, cômico, fantasioso. Enfim, cenas que não esqueceremos tão facilmente, independente do que ela tenha significado. Hoje postarei uma cena do excelentíssimo documentário de Michael Moore ´´Tiros em Columbine``, uma cena que na verdade é uma animação. Esta breve e engrassadíssima animação conta uma breve história das armas nos E.U.A, demonstrando de forma sarcástica o medo e a paixão incondicional dos americanos por armas de fogo, além de ratificar o racismo e a falta de direito dos negros no país, interligando com toda a sequência cronológica de armas. Hilário, mesmo tratando de um tema tenso e vergonhoso dentro da história norte-americana. Vale a pena conferir, mesmo quem não tenha assistido ao filme.


video

Título original: Bowling for Columbine
Ano de lançamento (E.U.A): 2002
Direção: Michael Moore

terça-feira, 9 de setembro de 2008

Livros: O Aviador - A Vida Secreta de Howard Hughes


Para quem pensa saber tudo sobre a vida do excêntrico bilionário Howard Hughes apenas por ter assistido ao filmaço do gênio Martin Scorsese está muito enganado. O filme embora conte apenas uma parte da vida de Hughes (quase três décadas) é baseado na impressionante biografia escrita por Charles Higham sobre o mesmo e que nas suas pouco mais de 400 enormes páginas, aborda detalhadamente todo o ciclo de vida deste homem, desde da história de seus pais até jovialmente herdar uma boa herança, e multiplicá-la inúmeras e inúmeras vezes para mais de 400 milhões por ano, e morrer aos 70 anos debilitado e fraco, ironicamente numa cabine de avião.


Nesta obra conhecemos o verdadeiro Howard Hughes, o homem que era rico, inteligente, charmoso, elegante, grande produtor e diretor cinematográfico, um absoluto gênio dos negócios e talvez o maior aviador de todos, e que namorou mais da metade de Hollywood entre as décadas de 30 e 50 (não é hipérbole), incluindo estrelas como Ginger Roberts, Jean Harlow, Terry Moore, Ava Gardner, Katherine Hepburn, Jean Petters (provavelmente a única a quem realmente demonstrou um sentimento verdadeiro). Bissexual que era, também teve inúmeros casos com diversos atores famosos tais como Cary Grant (um grande amigo). O número da lista e orgias é tão grande que nos faz perceber a verdadeira face da sacanagem que rolava por Hollywood.


No longa de Scorsese embora seja passado o seu egoísmo e egocentrismo com relação ao mundo, estre brilhante diretor unido a cuidadosa e exuberante atuação de DiCaprio tenta não demonstrar o monstro adormecido e oculto dentro do personagem. Além de egoísta e egocêntrico era preconceituoso, racista, imaturo, frágil e queira ou não totalmente louco. As loucuras (muitas delas refletidas no filme) partiam da microfobia herdada pela mãe (primeira cena do longa), de TOC (transtorno obssessivo compulsivo) além dos derivados problemas de saúde que fora adquirindo, morrendo possivelmente (nunca confirmado) de AIDS.


Diante de detalhes e peculiariedades tão bem escritas o autor transporta Hughes para os principais acontecimentos dos E.U.A e do mundo neste período, demonstrando sua clara participação em alguns deles, incluindo a ajuda frustrada ao exército americano na Segunda Guerra, as tentativas de ataques contra Castro (ele era totalmente anti-comunista), o caso Watergate e etc. Participação sempre relevante já que este frágil, gênio e louco texano de sotaque forte, foi um dos homens mais poderosos do século XX e por pouco mais de duas décadas o homem mais rico do planeta.


Egoísta e mimado nunca se importou com seus funcionários, os tratava como lixo e quando falava para um ´´Vá ver sua mulher`` (cena do filme em que ele se dirige a Odie) ele queria realmente dizer ´´Vá ver sua mulher, transe, relaxe e volte logo``. Até um dos poucos que fora fiel a ti, Noah Dietrich ele renegou e desprezou como lixo tradiamente. Não confiava em ninguém. E não podia mesmo, sua índole e status não permitiam. Diante de tanta rica informação passada do livro passamos a ter raiva, mas também pena dele, da sua deterioração pessoal que nem seu dinheiro poderia salvar-ti. Uma obra fantástica, um estudo do poder, ambição e acima de tudo da consciência humana.


´´Posso comprar qualquer homem do mundo``. (Howard Hughes)


Título original: Howard Hughes

Autor: Charles Higham

Editora Record

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Filmes assistidos em agosto

Não foi lá um mês muito positivo. Volta às aulas da faculdade e pc mais uma vez quebrado inibiram um pouco a minha coleção de filmes assistidos no mês, além claro das pouquíssimas postagens, devido a este maldito computador. Comprei uma fonte e uma memória nova, espero que agora ele não me deixe na mão rsrs. Nenhum filme espetacular que merecesse a nota máxima, mas ao menos três excelentes películas que merecem bastante destaque. Espetacular mesmo foi o livro que li neste mês; O Aviador e que em breve falarei sobre ele.
O.B.S: Todos foram assistidos pela primeira vez, excluindo-se assim os filmes revistos.

Cotação: * * * * *

1. Embriagado de Amor (Paul Thomas Anderson, 2002): Um longa simplesmente incrível. A direção absolutamente perfeita de P.T.A (idem o roteiro) possibilitaram que uma história simples diante de um personagem intrigante se tornasse fabulosa, unida como disse antes ao detalhismo e perfeccionismo de Paul passado para as telas. Já é fato, Paul Thomas Anderson será ou já é um dos melhores de sua geração.

2. A Vida dos Outros (Florian Henckel Von Donnersmarck, 2006): Filme que com seu Oscar fez-me criar uma certa antipatia sem ter mesmo o visto. Antipatia que virou euforia. Uma bela direção além de um ótimo roteiro e claro excelentes atuações incluindo o espetacular Ulrich Mühe. Não é melhor que ´´Fauno``, mas o longa não tem nada ver com isto.


3. Ônibus 174 (José Padilha, 2002): Um documentário que mostra até a espinha a crueldade e precariedade das mazelas e condições dos menos desafortunados no nosso país. Ao término da película sua mente e corpo estão exaustos, diante de tanta informação e verdade nua e crua que foram mostradas. A verídica violência existente no Brasil.


Cotação * * * *

4. A Culpa é do Fidel! (Julie Gavras, 2006): O melhor filme que conferi numa sala de cinema neste mês. É certo que demora um pouco até engrenar e tomar seu rumo, mas quando o faz fica fantástico, principalmente nas melhores cenas do longa que são as piadas irônicas e infantis entre as crianças.

5. Grace is Gone (James C. Strouse, 2007): Uma ótima surpresa. Um filme simples e leve, que encanta na sua suavidade e dramaticidade além de estudar detalhadamente as peculiariedades dos personagens e tratar de um tema difícil no termo familiar.

6. O Fugitivo (Andrew Davis, 1993): Juro que nunca tinha assistido e como havia ganho o dvd há um certo tempo e estava sem pc resolvi assisti. Eletrizante e empolgante do início ao fim, grande filme para quem gosta do gênero.

7. Perfume - A História de um Assassino (Tom Tykwer, 2006)


8. O Sonho de Cassandra (Woody Allen, 2008)

9. A Desconhecida (Giuseppe Tornatore, 2006)

10. Viagem a Darjeeling (Wes Anderson, 2007)


Cotação: * * *

11. XXY (Lucía Puenzo, 2007): Ótima história e ótimos atores, mas faltou autencidade e vontade de discutir mais abrangentemente o tema tratado. Não chega a ser tão ruim assim, mas decepciona muito por pensar que foi escolhido como o representante argentino para o Oscar.

12. Bella (Alejandro Gomez Monteverde, 2006)

13. Maverick (Richard Donner, 1994)

14. Os Chefões (Abel Ferrara, 1996)



Cotação: * *

15. Falsa Loura (Carlos Reichenbach, 2008)

16. Jumper (Doug Liman, 2008)


Cotação: *

17. Carga Explosiva 2 (Louis Leterrier, 2005)