terça-feira, 9 de setembro de 2008

Livros: O Aviador - A Vida Secreta de Howard Hughes


Para quem pensa saber tudo sobre a vida do excêntrico bilionário Howard Hughes apenas por ter assistido ao filmaço do gênio Martin Scorsese está muito enganado. O filme embora conte apenas uma parte da vida de Hughes (quase três décadas) é baseado na impressionante biografia escrita por Charles Higham sobre o mesmo e que nas suas pouco mais de 400 enormes páginas, aborda detalhadamente todo o ciclo de vida deste homem, desde da história de seus pais até jovialmente herdar uma boa herança, e multiplicá-la inúmeras e inúmeras vezes para mais de 400 milhões por ano, e morrer aos 70 anos debilitado e fraco, ironicamente numa cabine de avião.


Nesta obra conhecemos o verdadeiro Howard Hughes, o homem que era rico, inteligente, charmoso, elegante, grande produtor e diretor cinematográfico, um absoluto gênio dos negócios e talvez o maior aviador de todos, e que namorou mais da metade de Hollywood entre as décadas de 30 e 50 (não é hipérbole), incluindo estrelas como Ginger Roberts, Jean Harlow, Terry Moore, Ava Gardner, Katherine Hepburn, Jean Petters (provavelmente a única a quem realmente demonstrou um sentimento verdadeiro). Bissexual que era, também teve inúmeros casos com diversos atores famosos tais como Cary Grant (um grande amigo). O número da lista e orgias é tão grande que nos faz perceber a verdadeira face da sacanagem que rolava por Hollywood.


No longa de Scorsese embora seja passado o seu egoísmo e egocentrismo com relação ao mundo, estre brilhante diretor unido a cuidadosa e exuberante atuação de DiCaprio tenta não demonstrar o monstro adormecido e oculto dentro do personagem. Além de egoísta e egocêntrico era preconceituoso, racista, imaturo, frágil e queira ou não totalmente louco. As loucuras (muitas delas refletidas no filme) partiam da microfobia herdada pela mãe (primeira cena do longa), de TOC (transtorno obssessivo compulsivo) além dos derivados problemas de saúde que fora adquirindo, morrendo possivelmente (nunca confirmado) de AIDS.


Diante de detalhes e peculiariedades tão bem escritas o autor transporta Hughes para os principais acontecimentos dos E.U.A e do mundo neste período, demonstrando sua clara participação em alguns deles, incluindo a ajuda frustrada ao exército americano na Segunda Guerra, as tentativas de ataques contra Castro (ele era totalmente anti-comunista), o caso Watergate e etc. Participação sempre relevante já que este frágil, gênio e louco texano de sotaque forte, foi um dos homens mais poderosos do século XX e por pouco mais de duas décadas o homem mais rico do planeta.


Egoísta e mimado nunca se importou com seus funcionários, os tratava como lixo e quando falava para um ´´Vá ver sua mulher`` (cena do filme em que ele se dirige a Odie) ele queria realmente dizer ´´Vá ver sua mulher, transe, relaxe e volte logo``. Até um dos poucos que fora fiel a ti, Noah Dietrich ele renegou e desprezou como lixo tradiamente. Não confiava em ninguém. E não podia mesmo, sua índole e status não permitiam. Diante de tanta rica informação passada do livro passamos a ter raiva, mas também pena dele, da sua deterioração pessoal que nem seu dinheiro poderia salvar-ti. Uma obra fantástica, um estudo do poder, ambição e acima de tudo da consciência humana.


´´Posso comprar qualquer homem do mundo``. (Howard Hughes)


Título original: Howard Hughes

Autor: Charles Higham

Editora Record

15 comentários:

Kamila disse...

O engraçado é que, após assistir "O Aviador", eu pensei que não deveria ler biografias de Howard Hughes e que eu já tinha visto suficiente sobre ele. O seu texto me faz lembrar exatamente do contrário. Vou ver se consigo encontrar o livro.

Wally disse...

Já tive a oportunidade de ler. De acordo com meu tio, o filme de Scorsese pegou leve com o personagem, não mostrando ainda seu lado mais homossexual.

Ciao!

Cecilia Barroso disse...

Interessante... Vou ver se acho o livro para conferir.

Beijocas

Pedro Henrique disse...

Esse livro deve ser bom. E a capa mostra que Scorsese errou na escolha do ator (Howard Hughes tinha quase 2 metros de altura). Boa dica!

Abraço!

Sérgio Déda disse...

Kamila... tb pensei isto depois de ter visto o filme, estava enganado e ainda bem... pois eh mt intrigante e interessante a vida dele

Wally... não acho que pegaram leve, apenas amenizaram para que ele não se tornasse um personagem odiado durante todo o filme.. certamente o longa perderia toda a graça... mostraram digamos o melhor lado de Hughes...

Cecilia... boa leitura...

Pedro... eh efeito enganador da foto... ele não era tão alto assim e muito menos forte fisicamente.. tinha praticamente o mesmo porte físico do DiCaprio... a escolha foi perfeita, tb claro pelo grande talento deste ator...

Pedro Henrique disse...

É claro que ele era alto. Eu não disse isso somente após ver a foto. Aliás, o "pequeno" avião que está atrás dele tinha 2,80 de altura, aproximadamente. Olhe onde ele alcança. Mas o DiCaprio fez um ótimo trabalho, acima de tudo. Isso é o que importa, afinal.

Abraço!!!

Museu do Cinema disse...

Howard Hughes, o excentrico!

Sem duvida uma personalidade norte-americana que deveria ser melhor explorada no cinema.

Gosto de O Aviador e de The Hoax!

Ibertson Medeiros disse...

O filme do Scorcese é ótimo, mas um livro contém muitas informações que ficam de fora em uma adaptação cinematográfica. Gostaria de ler.

Sérgio Déda disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sérgio Déda disse...

Pedro... 2,80 com a asa superior tb? Olha... pelas fotos q eu vi ele parecia alto, mas não tanto assimmmm, não lembro do autor ter comentado sobre a altura dele e sim sobre sobre ele ser raquitico o tempo todo... vou dar uma averiguada no livro pra ver se acho...

Cassiano.... eu adoraria ver mais sendo feitos sobre ele... eh uma figura interanssantissima... perfeita pra adaptações....

Ibertson... concordo plenamente com vc... Scorsese além de tentar passar o lado positivo dele passou tb a época em que ele estava com mais atenção na mídia... apenas na mídia.. pq politicamente e economicamente ele soh ficou mais forte tempos depois...

Anônimo disse...

Ele tinha 1,95 vocês não acham que isso era alto ? eahuaeha estão de brincadeira o livro é muito melhor que o filme em si, o filme despreza totalmente varios fatores da vida do famoso bilionario, ele depois da morte de sua mãe e seu pai ambos em periodos de dois anos oportunistamente torna-se adulto perante a lei com 18 anos e assume o controle total da Hughes Tools Company e de toda fortuna da familia ja ficando Milionario, ele era também egocentrico , egoista , rascita , entre outros, O pai fora um inventor texano, que criou uma revolucionária broca para extrair petróleo. Ou seja, hughes sequer teve de fazer algum esforço para ficar rico., pois o pais era milionario e ele erdou toda a fortuna do mesmo!!!.... Viva Hughes Gênio.

Anônimo disse...

Hey guys,

Do you want to learn about movie rating?
You want to go to the cinema and you dont know what movie to watch? Search no further! We have gathered all the latest movies, with their current rating.

Rate this Movie is a big movie community where you can learn about the top performing movies.

Click here to learn about [url=http://ratethismovie.net]movies ratings[/url]

Anônimo disse...

Hello guys,

Would you like to watch Harry Potter and the Deathly Hallows Part 2? It is not released yet but you can watch it already!

Click here to [url=http://watch-harrypotterdeathlyhallowspart2online.com/watch-harrypotterdeathlyhallowspart2-online-free.php]watch Harry Potter and the Deathly Hallows Part 2 online free[/url]

Julio Paim Rigol disse...

Pedro Henrique: tb acho que o DiCaprio não era o ator mais adequado,mas ele foi um dos produtores. Eu tenho o filme e sou fascinado pela história do Howard Hughes. O Dicaprio estava obcecado pelo personagem (segundo o próprio Scorcese, numa entrevista que vi), e ele, como produtor, decidiu fazer o papel.

Julio Paim Rigol disse...

Pedro Henrique: sou fascinado pela história do Howard Hughes e li bastante coisa já a respeito. Inclusive sobre o filme "O Aviador". Tb acho q o DiCaprio não era o ator mais adequado, mas ele foi um dos produtores, e, segundo o próprio Scorcese em uma reportagem q li, ele estava obcecado pelo personagem. Não tinham muita escolha com relação ao ator principal.