sábado, 3 de janeiro de 2009

Edukators

Começando o ano com o terrível medo de cometer algum erro gráfico, devido a mudança na ortografia portuguesa, mas tudo bem, pouco importa. Gostaria também de salientar a respeito da premiação mais importante do mundo cinéfilo, o Blog dos Cinéfilos Awards 2009 (BDC Awards) rsrs, perdoem-me a brincadeira, mas esta premiação organizada pelo editor do blog terá anunciada seus indicados nesta quarta-feira, dia 7. Nos vemos lá! Depois do comunicado vamos ao filme.


Título original: Die Fetten Jahre Sind Vorbei
Ano de lançamento (Alemanha): 2004
Direção: Hans Weingartner

O longa alemão ´´Edukators`` não se apresenta como um filme revolucionário e impactante, que faz de sua temática o centro das atenções, desviando-se para um estudo de suas características submetendo seus personagens apenas às discussões políticas das quais se encontram, o que na verdade são os principais requisitos de filmes do gênero. ´´Edukators`` consegue ir mais longe e sobressair-se dos demais, por apresentar uma trama que tem seus personagens em primeiro lugar, as consequências de suas concepções e pensamentos em segundo, abrindo espaço para os dialgólos discursivos sem que estes soem pragmáticos, chatos ou até repetitivos. Torna-se ainda mais interessante quando as mesmas pessoas que estão discutindo aqueles problemas tão globais e estagnados são pessoas simples, que hoje em dia nada podem fazer para mudar a situação e elas mesmos inconformadas parecem saber disso.

Jan (Daniel Burh) e Peter (Stipe Ecerg) são dois jovens idealistas que encontraram uma maneira diferente de expressarem seus conceitos. Eles invadem mansões quando os donos viajam e ao invés de roubarem objetos bagunçam completamente a casa, mudando imóveis e objetos de lugar, deixando uma mensagem para o dono da casa: ´´Vocês têm dinheiro demais... Ass: Os Educadores``. Um dia Peter viaja para Barcelona e pede para Jan ir ajudar sua namorada Jule (Julia Jentsch) na pintura do apartamento do qual ela estava sendo despejada. Jan e Jule acabam ficando intímos e se envolvendo casualmente, e ao Jan contá-la sobre o que ele e Peter faziam eis que a moça sugere um plano. Ir com ele até a mansão de um homem, que Jule acidentalmente havia batido o carro e fora obrigada a pagar inúmeras prestações até hoje, fazendo-a ficar seriamente necessitada e com pouco dinheiro. Os dois topam e fazem o ´´serviço`` na casa do idoso rico.

Após Peter voltar de viagem, Jule liga para Jan e diz desesperada ter esquecido o celular na mansão e que eles deveriam voltar. Mas nesta segunda inesperada visita, logo após acharem o celular, Hardenberg (Burgat Klaubener), o dono da casa, volta de viagem e encontra os dois inquilinos. Sem saberem o que fazer eles deixam Hardenberger inconsciente e pedem ajuda de Peter. Os três jovens decidem então sequestrá-lo e levá-lo a uma cabana distante na floresta, que Jule conhecia. Hardenberger passa então a conversar com os idealistas e discutir sobre os atuais assuntos que envolvem capitalismo, desigualdade, tirania dos ricos, raízes político-históricas e etc, à medida que vai ganhando confiança e afeto dos sequestradores e um triângulo amoroso vai se formando.

Como eu disse o principal mérito do longa está nos seus dialógos, portanto no seu roteiro. Os debates dos assuntos oferecidos pela temática, embora os mesmos que nos acostumamos a ver, não soam repetitivos muito menos clichês, são intrigantes e interessantes, talvez por apresentarem os pontos de vistas de ambos os lados, do burguês rico e do jovem idealista, num confronto de palavras sem fim. Como a maior parte do filme se concentra nesses quatro personagens todos os protagonistas dão um show, oferecendo veracidade aos seus conceitos e ideologias e expressões aos seus sentimentos pessoais e peculiares, em destaque para Burh e Burgat, que conduz a aparente transformação do personagem de maneira brilhante. Hans Weingartner faz uma direção segura e que não procura se sobrepor aos seus atores, inovando bem em alguns aspectos, como a fotografia em certas sequências sendo feitas por celulares, passando a certa impressão de que eles eram apenas jovens e queriam filmar e gaurdar aquele momento para si.

Cotação: 9.0

9 comentários:

Ibertson Medeiros disse...

Gostei bastante de Edukators, um filme com uma história muito interessante. E também não estou ciente dessas mudanças ortográficas. Nem vou me preocupar agora, quando for atualizar meu blog hehehe
Abraço!

Vinícius P. disse...

Todos falam muito vem de "Edukators", mas nunca encontrei o filme por aqui. Aguardo sua premiação também, quero saber quais são seus favoritos no ano.

E só mais uma coisa: você recebeu um e-mail que te envie? Se sim, aguardo uma resposta. Abraço!

Red Dust disse...

Também tenho referenciado este 'Edukators', mas nunca tive oportunidade de ver.

Aí no Brasil já implementaram o novo acordo ortográfico ou não tem nada a ver? :)

Abraço.

Kau disse...

Sérgio, eu tive que assistir duas vezes Edukators para entrar no clima. Gostei... um filme bem articulado mesmo com uma proposta ousada. O elenco é interessantíssimo e o que me chamou bastante atenção foi a montagem: sempre muito precisa.

Abraços!

- cleber ! disse...

Estou sempre passando por este filme, mais nunca consigo ve-lô!

O Cara da Locadora disse...

Como temos 5 anos para nos habituar às novas regras, vou extender ao máximo o aprendizado destas, rs. Sobre o filme, realmente o ponto forte são os diálogos e a disputa de idéias, e o desfecho é sensacional. Mas eu acho que a forma que eles utilizam para seu protesto é um pouco infantil demais, rs. Mas é um grande filme, abraços...

Robson Saldanha disse...

Não vi esse filme, ainda cheguei a pegá-lo para levar mas deixe-o! Ainda quero vê-lo. Ei, mas não é só você que tá com medo de errar na ortografia não! Agora somos velhos! ehehe

Sérgio Déda disse...

Ibertson... hehhehe nem ligue muito não mesmo... bom que vc tenha assistido e gostado do filme...

Vinícius... jah mandei o e-mail com os dados.. qq coisa me avisa...

Red... assista que não irá se arrepender... jah sim! hauahau

Kau... bem lembrado... a montagem do filme é muito bem feita e organizada...

Cleber... pode assistir sem medo...

O cara da locadora... pode ser infantil, mas ao menos não incluia violência neh, pelo menos ateh o dia do sequestro... hehe

Robson... eh verdade... vamos poder dizer... ´´no meu tempo existia uma coisa chamada trema, que ngm usava mesmo aih acabou sumindo kkkkkk``...

Vulgo Dudu disse...

Simplesmente adoro esse filme, é um dos meus favoritos da nova safra alemã. Político na dose certa, dramático na dose certa, perfeito! Me identifiquei por demais com o argumento. Saí docinema preenchido!

Tenho até uma camiseta do filme, com os seguintes dizeres, em alemão:

"Cada coração é uma célula revolucionária"

Abs!