domingo, 26 de outubro de 2008

Nove Rainhas



Título original: Nueve Reinas
Ano de lançamento (Argentina): 2000
Direção: Fabián Bielinsky

Antes de dar continuidade a mais um Meme, gostaria de falar um pouco sobre um filme maravilhoso e surpreendente que assisti durante a semana. Este filme é o argentino ´´Nove Rainhas``, que conta com um roteiro fabuloso e intrigante, além de uma direção envolvente, e atuações diga-se de passagem fantásticas. Somente pelo fato de termos Ricardo Darín no casting já seria motivo suficiente de criar ansiedade por assistí-lo. E o grande mérito de ´´Nove Rainhas`` é conseguir encantar e empolgar a todo e qualquer momento, destacando-se obviamente pelo duelo de interpretações entre Darín e o excelente Gastón Pauls num papel extremamente bem trabalhado e enfocado, que serve acima de tudo para dar continuidade à frenética sequência de fatos no longa, misturando-se em suspense, aventura, humor, drama familiar e situação social. Como não fosse o suficiente o diretor ainda consegue inteligentemente demonstrar e tratar de maneira adequada acerca de todos estas temáticas encontradas na película.

Juan (Gastón Pauls) é um picareta que precisa de dinheiro para ajudar seu pai. Num de seus golpes dentro de uma loja de coveniência ele conhece um outro picareta aparentemente mais profissional, Marcos (Ricardo Darín). Marcos ajuda Juan a livrar-se da encrenca em que se metera dando seu golpe e em troca o convida para passar um tempo como seu parceiro. Juan, mesmo acanhado, aceita o convite por ao menos um dia e passa a dar golpes pela cidade junto com Marcos, à medida que vai aprendendo e se espelhando no novo companheiro, ele torna-se o pupilo do mestre. Em meio às picaretagens do dia Marcos recebe uma proposta de um antigo parceiro picareta para dar um golpe num milionário espanhol que deixará a cidade no dia seguinte. Este homem é apaixonado por selos, e Marcos tentará vender uma raridade na categoria; as ´´Nove Rainhas``, mas um pequeno detalhe, estes logicamente falsificados.

Portanto Marcos e Juan têm a missão de vender os selos falsificados até o fim do dia, e tentarão de tudo. Terão de pensar e agir rapidamente com inteligência para conseguirem realizar a venda e acima de tudo saírem ileso desta arriscada missão. É neste âmbito que o roteiro se encontra e consegue apresentar detalhes impressionantes dos seus personagens e ainda assim não revelar a verdadeira intenção e personalidade de cada um, possibilitando ao diretor com inteligência manter um clima de suspense e mistério no ar. Não sabemos em quem confiar, não sabemos se aquilo é verdade ou mentira, resta apenas esperar o desfecho. Neste tom envolvente passado na película Bielinsky procura misturar o drama interior de cada um, além de converter boas doses de humor e suspense interligados ao longa.

Darín dá mais um show, seu personagem é uma pessoa no minímo frustrada e fracassada, mas que pensa independendo o sentimento e importância dos outros, ser bem sucedido e inteligente. São atuações inteiramente ótimas de todos no longa, mas o destaque vai para Gastón Pauls, a princípio um simples necessitado que dava golpes por precisar realmente, e sentia vergonha em ter de roubar de uma velhinha que o disse que ele a lembrava de seu neto. Mas como dito; a verdadeira personalidade de cada um de todos os personagens da história só é inteiramente conhecida perto do seu desfecho. Grande mérito do roteiro e direção que deram ao filme um ritmo alucinante e intrigante, ajudada pela precisa e peculiar montagem e a sempre centrada fotografia. Mais um impressionante filme argentino. Personagens que sendo picaretas se aproximam e tornam-se amigos intímos do espectador, mesmo que aquele tenha sido só um dia e mesmo que tudo poderia ser ou não uma farsa, mas aliás a vida de muita gente neste mundo é tão farsa quanto. Grande filme.

Cotação: 9.0

13 comentários:

Vinícius P. disse...

Uma vez disseram que "Nove Rainhas" tem tudo aquilo que o cinema nacional não é capaz e de certa forma isso é verdade. Raramente vemos uma história tão bem construída emocionalmente por aqui, por isso o cinema argentino ainda é um dos melhores.

Kau Oliveira disse...

Sergio, o cinema argentino é muito bom. Ainda não vi este filme, mas só em saber que Ricardo Darín está no elenco, sei que o filme é bom.

Então, meu novo blog é o Bit of Everything: http://bitlofleverything.blogspot.com/

Espero seus comentários por lá!

Abraços.

Marcel Gois disse...

Ainda não vi, como você sabe, mas tenho curiosidade, conheço pouco do cinema argentino..

Kamila disse...

Eu adorei este filme. A história pode parecer trivial, mas a maneira como o roteiro é construído é muito original. Uma prova de que podemos aprender bastante com o cinema argentino.

Jacques disse...

O cinema argentino é bom, apesar dos autos e baixos constantes. Esse ainda não vi. Vai prá fila.Abcs

Hugo disse...

Assim como vc considero Ricardo Darin um ator acima da média, ele consegue uma empatia fácil com espectador. Se não assistiu, veja "Clube da Lua", "Kamchatka" e "O Filho da Noiva", cinema argentino de primeira.
Este "Nove Rainhas " foi refilmado como "171" com John C. Reilly e Diego Luna, mas fica muitos degraus abaixo do original.

Abraço

Violinista do Cinema disse...

Nove Rainhas é um trabalho magnifico de Fabian, que depois foi adaptado no mais ou menos Criminal (que nem se compara ao original)...é uma pena que Fabian tenha morrido tão cedo...
bjokas,
vivi

www.cinefilando.blogspot.com

Wally disse...

Queria muito assistir ao filme. Pelo simples fato de que é o original da refilmagem "171", um filme bom mas limitado. Pela crítica, parece ser um filmaço.

Ciao!

Vulgo Dudu disse...

Nossa, vi esse filme há muito tempo, no cinema! Eu lembro que gostei bastante também.

Abs!

Cecilia Barroso disse...

Eu também gosto muito desse filme. Foi nele que conheci Ricardo Darín, além de poder ver uma história super empolgante.
Você já viu a adaptação americana. Peguei achando que era uma outra coisa e era isso, muito ruim!!!

Beijocas

Sérgio Déda disse...

Vinícius... de certa forma é verdade... está aih um exemplo para os cineastas brasileiros que soh pensam em mostra pobreza e miséria...

Kau.... tah linkado seu blog...

Marcel... vou te passar hehehehe

Kamila... podemos aprender bastante com este filme mesmo...

Jacques... pode assistir que não vai se arrepender...

Hugo... adoro O Filho da Noiva... e não tenho mt interesse em assistir 171...

Violinista do cinema... pena mesmo...

Wally... pode assistir... eh mt bom

Dudu... adoraria ter visto no cinema como vc...

Cecilia... como eu disse não tenho muita vontade em assistir o remake, mas quem sabe...

Pedro Henrique disse...

Eu nem conhecia esse, Sérgio!!!

Renan disse...

A tia do meu cunhado caiu num golpe mostrado neste filme. Quando apertaram o interfone do predio dela se identificando como seu sobrinho, ele simplesmente disse "tia" pelo interfone, disse que a voz estava meio rouca por um resfriado, o carro dele estava na oficina, que estava desesperado pelo cheque dele não ser aceito em outro estado, precisava de dinheiro urgente emprestado e o mecânico ia subir pra pegar o dinheiro. Quando meu cunhado me contou isso me lembrei na hora: os fdp tiraram isso do filme Nove Rainhas!