quarta-feira, 25 de junho de 2008

Amacord


Título original: Amacord
Ano de lançamento (Itália): 1973
Direção: Frederico Fellini

Frederico Fellini foi sem dúvidas um dos maiores diretores da história do cinema. Detentor de obra-primas fenomenais e valiosas ao lonngo de sua carreira, sempre procurou unir em todos os seus filmes os conhecimentos e aprendizados que ia adquirindo. Nas suas obras sempre se vêem os mesmos aspectos, tomados de maneira diferente ou semelhante na temática do filme. O que mais se destaca nos seus trabalhos é claro o humor poético e a divergência entre a realidade e o fantasioso, onde fora apelidado por alguns de lirismo felliniano. Essa poeticidade está presente logicamente em Amacord, um dos melhores senão o melhor, que retratam bem o mundo e o que se passa dentro da cabeça deste mestre Frederico Fellini.

Muitos o consideram como a melhor realização de Fellini, o melhor filme italiano, o melhor filme europeu, o melhor filme estrangeiro e ora o melhor filme de todos. Todas essas afirmações são aceitáveis pelo ponto de vista crítico e embora eu não ache o melhor de todos, considero um dos e dou razão a quem o faz. Como em vários filmes do diretor a trama é repleta de personagens e histórias, com peculiariedades e semelhanças entre todos. Se pedirem a sinopse do filme ela seria a seguinte: Frederico Fellini analisa a vida familiar e religiosa, a educação e a política da Itália nos anos 30, dominada pelo Fascismo. E impressionantemente detalhista, ele nos mostra a base da sociedade italiana daquela época.

Tudo isso acontece através dos olhos de Titta (Bruno Zanin), um garoto irresponsável e inconsequente que adora aprontar com seus colegas de classe. Entram na história os pais de Titta, constantemente brigando entre a família, Gradisca ( a mulher madura pelo qual Titta era apaixonado além de quase toda a cidade), Volpina (uma ninfomaníaca), a peituda dona da tabacaria, além de um mendigo e um socialight que apresentam e analisam os fatos ocorridos na cidade, explicando e demonstrando como era, isso olhando para a câmera. Ou seja, com esses dois personagens falando e se comunicando diretamente com a câmera eles estavam se comunicando diretamente com nós mesmos, portanto faríamos e nos sentiríamos integrantes daquele povo.

Muitos dizem que este filme é um retrato altamente biográfico da vida de Fellini. Ele por diversas vezes negou, mas afirmou que contém passagens semelhantes ao que ele viveu, e com certeza contém, como contém. Tanto que a palavra ´´Amacord`` significa na região onde Fellini nasceu ´´mi recordo`` em italiano. Daí se vê e entende-se além dos vários personagens do filme aqueles dois que constantemente olham e falam para a câmera. Eles representavam o próprio Fellini e suas várias facetas, falando e dialogando conosco. Talvez ele tenha negado ser um filme auto-biográfico pelo fato dos garotos do filme serem tão pevertidos e assim seria Fellini, mas na infância e adolescência todos nós somos. Como também os adultos são do mesmo jeito retratado no filme, e os idosos. Impossível não se identificar e relacionar seus sentimentos com os personagens.

Um filme que não possui uma história central, um acontecimento que desencadeia numa consequência. Possui várias histórias e acontecimentos que desencadeiam em várias consequências. E assim é a sociedade, agora que escrevo acontecem inúmeros peculiares e semelhanças sociais. Singelo, engraçado, tocante e poético, uma obra-prima imperdível para quem se diz amante da sétima arte.

P.S. Procurei colocar um pôster do filme dessa vez, para retratar os vários personagens da película.

Cotação: 10

15 comentários:

Vinícius P. disse...

Confesso que vi esse filmes há séculos e não lembro tanto de sua história, mas sem dúvida foi uma das melhores fitas 'estrangeiras' que já vi. Grande trabalho do Fellini...

Kamila disse...

Sérgio, não assisti "Amacord" ainda, mas, na minha opinião, o melhor filme do Federico Fellini é "8 1/2".

Pedro Henrique disse...

Tenho que ver esse filme logo. Já vi que tem na locadora que eu alugo. Estou com Fellini em Roma para ver aqui...

Abraço!

Marcel Gois disse...

Ainda não assisti "Amacord", confesso que nem sabia sobre o filme. Tenho um conhecimento quase nulo sobre o cinema italiano. Mas esse parece ser ótimo mesmo, qualquer dia tentarei vê-lo.

Ibertson Medeiros disse...

Do Fellini só assisti 8 1/2, que inclusive vai receber um remake em 2009.
Muito interessante e por comentários que li, 8 1/2 é mais ainda auto-biográfico.
Já li muito sobre Amacord e quero vê-lo em breve.

Ibertson Medeiros disse...

E ainda tem a trilha sonora de Nino Rota...

Sérgio Déda disse...

Vinicius... eh realmente um dos melhores filmes estrangeiros de todos os tempos.. quarto filme do Fellini q ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro..

Kamila... jah assisti 8 1/2 e confesso q fico em dúvida pra dizer qual eh melhor, acho q ainda prefiro Amacord..

Pedro.. assista, não vai se arrepender.. o mesmo pra vc Marcel rsrs

Ibertson... eh verdade.. se 8 1/2 eh um filme auto-biográfico de Fellini adulto e diretor consagrado (como o próprio perso.) Amacord eh uma auto-biografia de sua infância e adolescência.. e a trilha do Nino Rota eh fantástica.. como a maioria dos filmes italianos..

Museu do Cinema disse...

Ola Sérgio, valeu pela visita, comentário e pelo link ai, vou te linkar por lá tb.

Chego aqui e já bato de frente com Amarcord, do gênio Fellini, que ainda não entrou na minha lista vip por incompetência minha em decifra-lo.

Wally disse...

Do Fellini, sou um completo ignorante. Conheço nada na sua carreira e preciso urgentemente corrigir esse erro.

Obrigado por me lembrar!

Ciao!

Cecilia Barroso disse...

Eu adoro Fellini. Amarcord é realmente fantástico. Os personagens, a história, a música, a fotografia. Tudo está no lugar certo.
Acho difícil eleger a melhor obra de Fellini. 8 1/2 é demais e eu, particularmente, adoro Noites de Cabíria. Isso sem falar em A Doce Vida e Julieta dos Espíritos. Ou seja, ele sempre sabia o que estava fazendo...

Sérgio Déda disse...

Cecilia.. assisti Noites de Cabíria na sexta-feira... mais outro filme sensacional de Fellini.. o neo-realismo italiano e um final bastante similar ao de Ladrões de Bicicletas.. fantástico tb !

Ramon disse...

Grande post!
Preciso conferir essa obra, mas não me empolgava. Agora vai ser prioridade.
Abração!

Vulgo Dudu disse...

Federico Fellini... mestre total! Eu tive a oportunidade de ver um filme dele na tela grande, em um cinema vazio, o belo Palhaços. E foi uma experiência muito intensa! Eu considero Amacord uma obra-prima.

Abs!

Jacques disse...

Mais um blog que merece ser visitado. Já adicionei ao meu. Bela escolha, ótimo filme, um dos maiores diretores da história do cinema. Para ser visto, revisto e nunca esquecido. Viva Fellini! Abcs

Jack disse...

Há cenas em Amacord que beiram à perfeição...Maravilhoso,um filme pra ser revisto sempre!